• Home
  • Archive by category "Blog"

Julho chegou, e é rumo à CENTOEVINTENA. E o que você planejou para suas redes sociais?

Até ano passado, eu era a loka das festas juninas. Dia 13 eu batia ponto na quermesse de Santo Antônio da igreja aqui perto; dia 24 eu despencava pra Igreja de São João, ali no Centro, com minha amiga Luciana, só pra comer pamonha salgada; e dia 29, pelo menos antes da minha filha nascer, era de lei a procissão e a festa de São Pedro em Jurujuba (pra quem não conhece Niterói, é um bairro com uma colônia de pescadores).

Este ano, as festas juninas foram em forma de shows pela internet, encontros com os amiguinhos da escola pelo Zoom, e uma invenção chamada “festa na caixa”, um produto que ganhou força em tempos de isolamento social: um bolinho, uns doces, uns salgadinhos, duas latas de refrigerante – o suficiente para uma família que mora junta comemorar, tudo entregue na sua casa. Tem gente que tem a visão também de incluir cupcakes e docinhos para entrega na casa dos parentes e amigos chegados, para que todos comemorem juntos.
E parece que é assim que vamos comemorar qualquer coisa por um bom tempo. 

😷😷😷

A novidade agora é que o TikTok está pautando novas funções no Instagram: o Instagram lançou recentemente a função ‘Reel’, onde você pode fazer pequenos clipes com áudio e recursos de edição de tempo, e o YouTube agora mostra destaques de vídeos de 15 segundos. Ninguém aguenta ter sua hegemonia ameaçada, né, mores?

Enquanto isso, eu ainda não entendi muito bem para que serve o TikTok. Mas se você trabalha com mídias sociais e não está lá ainda, é bom ficar de olho. Cria um perfil e observa. Pode até me seguir, embora ainda não tenha muita coisa pra ver.  
 
😷😷😷

Low touch economy, ou economia do pouco contato. Já cantei essa bola várias vezes aqui no Lounge42, nos informativos passados (junho, maio, abril): a economia não está parada, mas o dinheiro está mudando de mãos e indo para quem consegue se adaptar. Entregas, compras pela internet, serviços que podem ser realizados remotamente estão crescendo no meio da pandemia. A MJV fez uma boa análise dessa tendência. Leia: https://www.mjvinnovation.com/pt-br/blog/low-touch-economy-o-que-e.

😷😷😷

A economia do pouco contato é tão significativa que hoje, primeiro de julho, tem uma greve de entregadores de aplicativos – iFood, Uber Eats, Rappi e outros. Uma categoria que sempre foi precarizada e corre riscos sérios no trânsito, uma vez que ganham muito pouco por entrega e, se quiserem uma renda digna no fim do mês, precisam fazer o máximo de entregas em menos tempo (isso inclui cortar caminhos por onde não deve e furar sinal, pelo visto). E, agora, risco de contaminação – para trazer nossa comida. Fora os bloqueios e prejuízos por cancelamento.

Em tempos de COVID-19, pode-se dizer que eles estão numa espécie de linha de frente. Afinal, alimentação é serviço essencial e esses caras fazem todo o contato entre negócio e cliente. Só que sem equipamentos de proteção fornecidos pela empresa nem direitos trabalhistas, porque o app não se responsabiliza por eles caso algo aconteça. E não dá pra meter o discurso de “eles são empreendedores”. Os aplicativos ganham MUITO dinheiro às custas dessa precarização do trabalho.

Caso os entregadores tenham suas reivindicações atendidas, é provável que se crie todo um novo parâmetro para serviços de entregas – e não apenas por aplicativo, porque os avanços podem virar exigências de toda a categoria., porque até termos uma vacina para o COVID-19 ou um tratamento de eficácia comprovada, ainda vamos depender muito de entregadores. 

Todo apoio para essa categoria. Se você ler isso a tempo, pode apoiá-los não fazendo pedidos de comida por aplicativo hoje, usando a hashtag #BrequeDosApps, e dando gorjeta ou valores extras, quando possível, nas suas próximas compras.

😷😷😷

E o seu negócio? Já se adaptou ao ‘novo normal’? Está tendo alguma dificuldade? Posso ajudar?

😷😷😷

Vamos para o que você queria: datas comemorativas de julho para ter assunto em suas redes sociais.

Julho costumava ser aquele mês em que a gente dizia “estamos no meio do ano, e como está seu planejamento? Ainda dá tempo de cumprir suas metas”. Bom, vou dar uma notícia pra vocês: todos os planos mudaram. Inclusive tô passando pra frente meu planner 2020 praticamente zerado. 

Lembrando que este não é o calendário completo, são apenas algumas das datas que podem ser relevantes. Mas já pode te dar algumas ideias:

  • 4 de julho: Dia da Jaca
  • 6 de julho: Dia Internacional do Beijo
  • 7 de julho: Dia Mundial do Chocolate
  • 8 de julho: Dia da Ciência
  • 10 de julho: Dia da Pizza e Dia da Piña Colada
  • 13 de julho: Dia Mundial do Rock
  • 14 de julho: Dia da Queda da Bastilha (VAMO FAZER IGUAL, GENTE???)
  • 17 de julho: Dia Mundial do Emoji
  • 19 de julho: Dia Nacional do Futebol
  • 20 de julho: Dia do Amigo e Dia Nacional do Tatuador
  • 26 de julho: Dia dos Avós
  • 27 de julho: Dia do Pediatra
  • 28 de julho: Dia do Agricultor
  • 30 de julho: Dia Internacional da Amizade

Aproveite julho para pensar nas suas campanhas de agosto: Dia dos pais e a Semana Mundial de Conscientização sobre o Aleitamento Materno, que obviamente não precisa ser uma cagação de regra sobre amamentação que vai deixar mães que não puderam amamentar ainda mais culpadas (como se a gente já não tivesse um milhão de cobranças), mas sim sobre acesso à informação. 

😷😷😷

Aconteceu no Instagram

“Sentiu o chamado?”

Senti o chamado de correr pras montanhas, isso sim. Onde já se viu apelar pro emocional pra fazer alguém gastar um dinheiro que não tem em algo que não precisa? Mais amor nas vendas, por favor. ❤

😷😷😷

No mais, fique em casa se puder. Se tiver muito que sair, use máscara e álcool gel, lave bem as mãos, deixe os sapatos do lado de fora quando voltar, tome um banho e desinfete tudo o que vier da rua.

Seguro morreu de velho.

Um beijo. Fica bem. Tamo junto.

Lia Amancio.

Junho chegou. E como vai sua presença digital?

Junho está aí. E eu espero que, se você lida com produtos ou serviços, você já tenha planejado:

❤️ Sua promoção de dia dos namorados;
🌽 Como você vai falar de festa junina, considerando que não teremos festa junina tão cedo;
❄️ No inverno, que chega oficialmente no dia 21.

Se não planejou ainda, senta a bunda na frente do computador agora e manda ver. Se não souber o que oferecer, me aciona. Juntos, podemos pensar em algo.

Lembre-se: adaptação. Inovação. Investimento em conteúdo digital. Porque mesmo com a flexibilização do isolamento em algumas cidades, estamos longe de ter a cura do vírus. Então prepare-se para não ser pego de surpresa com um novo lockdown, ou com a economia ruindo não pelos fechamentos, mas por motivos de saúde da população.

***
Dicas de leitura da Tia Lia:

🖥️ Deu no Meio & Mensagem: “Mídia programática: o que é e como funciona? Perfil Sleeping Giant Brasil trouxe à tona o funcionamento de um modelo automatizado de publicidade que gera dúvidas – e polêmicas – entre anunciantes e veículos”. Confira.

🖥️ O LinkedIn agora permite a criação de eventos. Você ja criou evento no LinkedIn? Conta aqui como foi sua experiência?

🖥️ Me segue lá no TikTok. Ainda estou tentando entender para que serve o TikTok quando você tem mais de 40 anos e não é uma marca.

🖥️ André Forastieri é jornalista. Você pode conhecê-lo do LinkedIn, mas eu conheço de revistas que eu adorava na minha adolescência e um pouco depois, como General e Herói, e da editora Conrad, que publicava os melhores livros. E a newsletter dele é muito interessante. Ele fala muito de cultura – música, séries, literatura – com um viés pop/alternativo, mas também aborda um pouco de política e empreendedorismo. A mais recente fala de negociação, de comunicação empática e como convencer alguém do seu argumento. Acho que você vai gostar.

***

Vamos à nossa agendinha de datas mágicas. Lembre-se: muitas delas NÃO estão aqui. Todos os dias de junho têm várias datas comemorativas, obviamente que não coloquei todas. Mas alguma dessas pode ser lembrada no seu negócio, ou em alguma campanha. Vamos a elas:

3 de junho – Dia Mundial da Bicicleta
4 de junho – Dia de Abraçar seu Gato
5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente
8 de junho – Dia Mundial do Gin
10 de junho – Dia da Língua Portuguesa e Dia do Chá Gelado
12 de junho – Dia dos Namorados e Dia Mundial do Falafel
13 de junho – Dia de Exu, Dia de Santo Antônio
16 de junho – Bloomsday
18 de junho – Dia da Imigração Japonesa
19 de junho – um dos dias do Cinema Brasileiro (o outro é em novembro!)
20 de junho – Dia Internacional do Surf
21 de junho – Início do Inverno, Festa da Música (uma tradição que começou na Europa com o início  do verão), Dia Mundial do Skate, Dia Mundial do Yoga
23 de junho – Dia do Atleta Olímpico, Dia Nacional do Desporto
24 de junho – Dia de São João, Dia do Caboclo
25 de junho – Dia Global dos Beatles
28 de junho – Dia do Orgulho LGBTI+
29 de junho – Dia de São Pedro, Dia de Xangô
30 de junho – Dia Internacional do Profissional em Biotecnologia

***

No mais, sim, você pode e deve se posicionar contra o racismo. Se você é branco/a, reconheça o racismo estrutural da sociedade, o racismo das pessoas brancas, dê espaço para pessoas pretas nos seus canais. 

Você também pode e deve se posicionar politicamente. Afinal, estamos no meio de uma pandemia, uma crise sanitária e sem ministro da saúde nem presidente. O ministro da Economia salva bancos e deixa as pequenas empresas e o trabalhador autônomo no sufoco. É pra revoltar qualquer um. Você vai perder seguidores? Talvez. Mas os que ficarem serão pessoas inteiramente alinhadas com seus valores – e você pode, enfim, ser livre para falar publicamente sobre o que você gostaria de fazer com um fascista quando acabar o isolamento e você puder ter, DIGAMOS, contato físico com alguém.

Ah, qualé, independente do seu posicionamento político, você não é fascista, certo? Na dúvida, entenda aqui quais são os sinais do fascismo: 

(se alguém souber de quem é a autoria da imagem, me conta)

***
No mais, espero do fundo do coração que esteja tudo bem com você, na medida do possível. 

Estamos juntos nesse barco. Já passamos por coisas piores, sem os recursos tecnológicos e toda a informação que temos hoje. Vai passar. Vai passar. 

Olá, mês de maio! Você por aqui?

Maio chegou… e como você está se adaptando ao “novo normal”? 

Muitos negócios estão se adaptando – e mesmo se você não tiver um negócio, enquanto consumidor você já deve ter percebido mudanças: cada vez mais empreendedores operando com entregas em domicílio, eventos acontecendo em plataformas online, aulas e atendimentos por vídeochamada e em salas virtuais.

E com as experiências de flexibilização do isolamento trazendo mais casos de contaminação (o que provavelmente se refletirá em mais casos graves e maior ocupação de UTI nos estados que flexibilizaram o isolamento), o melhor que empresas têm a fazer é focar no ambiente digital. 

Mas… o que fazer com negócios que dependam exclusivamente de interação presencial (tatuadores, massoterapeutas, acupunturistas, profissionais de estética e beleza, montadores de móveis, marcenaria, eventos?).

Algumas soluções que tenho visto por aí passam por venda de vouchers para quando o isolamento acabar – ou, ainda, aulas online.

É isso mesmo. Já falei sobre isso no e-mail de abril e vocês não me levaram a sério, agora tá aí um monte de guru de marketing digital bombardeando vocês com anúncios no Facebook e Instagram de “ganhe dinheiro com produtos digitais”. Outro dia vi a MESMA coach (porque eles nunca são de marketing nem de EAD, né?É tudo coach) em praticamente todos os apps com anúncio no meu telefone. Socorro.

Aulas online servem para ensinar seu cliente a se virar na sua ausência – sim, não há nada de errado em passar uma parte do seu conhecimento adiante, porque seu cliente sabe que você é o especialista e vai te chamar novamente na primeira oportunidade que tiver -, mas também para ensinar qualquer outra coisa que não envolva sua expertise profissional, mas que vá ajudar as pessoas de alguma forma. Seus boletos não se pagam sozinhos e, por outro lado, muita gente não consegue fazer sozinha o que você sabe fazer. É uma relação ganha-ganha.

Se você tiver interesse em transformar seu conhecimento em aulas online, responde aqui com a sua área de atuação e qual tem sido seu maior desafio. Não sei se você sabe, mas trabalhei anos desenvolvendo material para educação e treinamentos à distância, e estou preparando um material bem completo sobre o assunto. Educação online não se resume a botar produto em plataforma de afiliados. E eu quero poder te ajudar.


Eu sempre coloco neste e-mail as datas importantes do mês. Vai que alguma delas é digna de comemoração por aí, né? Mas antes, deixa eu te dar uma dica preciosa: você certamente já conhece o Google Trends, mas sabia que o Pinterest e o Unsplash são, também, boas ferramentas de análise de tendências? Como certamente sabe que se publicar o que as pessoas querem saber, as chances de ser encontrado é maior, fique de olho nessas dicas:

Pinterest
Segundo o Pinterest, nunca na história da plataforma as pessoas buscaram, salvaram e compartilharam tantas ideias como neste primeiro mês de isolamento social.

Confira aqui as receitas mais populares, frases motivacionais, dicas de entretenimento em família, agradecimento aos profissionais de saúde e – acho que isso te interessa – apoio a pequenos negócios.

Unsplash
Minha ferramenta preferida de busca por imagens gratuitas acrescentou duas novas abas de busca por imagens: ‘COVID-19’, com máscaras, ruas vazias e profissionais de saúde, e ‘Work from home’, para ilustrar todos esses posts da firma que eu sei que você anda fazendo, porque eu também estou. Nunca noticiei tantos eventos de propriedade intelectual cancelados, e tantas conferências virtuais.

Google Trends
Você pode pesquisar o que está sendo pesquisado no Brasil, claro. Mas se você tiver domínio de outros idiomas, também pode – e deve – usar a ferramenta para descobrir o que países em estágio mais avançado da pandemia estão buscando. Por exemplo, após o primeiro pico na última semana de fevereiro e o segundo na segunda semana de março, as buscas por coronavirus estão em franca queda, e esta parece ser uma tendência. O que não quer dizer que o país esteja livre do vírus, mas que talvez ele já faça parte da vida da população.

No Brasil, estamos pesquisando sobre “fim do coronavírus” (eu conto ou vocês contam?), pijamas e sintomas, além de dúvidas sobre o auxílio emergencial e “suspensão de contratos coronavírus”, que tanto pode tratar de contratos de trabalho como de empréstimos consignados.

Enfim, tem assunto pra caramba para abordar nas suas mídias digitais, nos contatos com seus clientes, sugestões de produtos e pacotes de serviço. E também tem, claro, os relacionados a datas especiais. Seguem apenas algumas. Isso aí não é nem uma fração do que está no meu calendário. Meu calendário é sinistro, rapá. Acho que vou cobrar pelo acesso ao meu calendário, haha. 

Voici le mois de mai: 

  • 1º de maio já passou, mas eu espero que você tenha reforçado sua solidariedade com os trabalhadores, e não dado “feliz dia do trabalho”.
  • 3 de maio – Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. 
  • 4 de maio – Star Wars Day (você sabe… “May the 4th be with you”)
  • 5 de maio – aniversário da Batalha de Puebla, no México.
  • 6 de maio – dia internacional sem dieta (oi, quarenteners!)
  • 8 de maio – Dia Nacional do Turismo, Dia Internacional da Cruz Vermelha, Dia do Artista Plástico e (oiê!) Dia do profissional de marketing.
  • 10 de maio – Dia das mães
  • 11 de maio – Dia de Twilight Zone
  • 12 de maio – Dia Mundial do Enfermeiro
  • 13 de maio – Abolição da escravatura, dia dos pretos velhos e dia mundial de ‘Top Gun’.
  • 17 de maio – Dia Internacional contra a LGBTQIfobia, Dia Mundial da Sociedade da Informação
  • 18 de maio – Dia Internacional dos Museus
  • 19 de maio – Dia Mundial do Médico de Família e Comunidade
  • 22 de maio – Dia Internacional da Biodiversidade, Dia Mundial dos Góticos, Dia Nacional do Abraço 
  • 24 de maio – Dia de Santa Sara Kali, Dia Nacional do Café, Dia Nacional do Milho
  • 25 de maio – Dia da Toalha / Dia do Orgulho Nerd, Dia da Costureira, Dia do Sapateado, Dia Nacional da Adoção
  • 26 de maio – Dia Mundial do Lindy Hop
  • 31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco

Se alguma dessas datas te diz alguma coisa, já escreva o post, já busque as imagens, já deixe tudo programado no Etus, no MLabs, no Planoly, no Buffer, no Later, Hootsuite ou seu gerenciador de posts em redes sociais favorito. Vai te poupar um tempo. Se nenhuma dessas datas te diz nada, existem vários calendários de redes sociais disponíveis na internet. Vou tentar organizar o meu de uma forma acessível para liberar para você, de qualquer forma, para te poupar um tempo significativo de planejamento.

E lembre-se que no mês que vem tem (ou deveria ter) festa junina e dia dos namorados. Já prepare suas promoções, suas receitas especiais, suas ofertas irresistíveis.

No mais, eu realmente espero que você, sua família e seus amigos estejam bem.

Se precisar de alguma coisa, me chama. Estarei por aqui, trabalhando de casa. 

Beijos. De longe. Com máscara. Claro.

Abril está aí, o corona f**eu com os nossos planos, mas vamos sair dessa

Já faz um tempinho que publico no blog e envio para algumas pessoas – clientes, ex-clientes e amigos chegados – um pequeno manual de sobrevivência nas redes sociais para o mês seguinte. Nele, incluo datas comemorativas, assuntos a serem abordados e outros bichos.

Aí o corona vírus veio e quebrou meu planejamento (e o de todo mundo, presumo).

Primeiro porque todo o conteúdo mudou mesmo.  

Como fazer piada de primeiro de abril com o corona? (dica: não faça)

Para que ser mais uma a falar de home office por causa do corona? Como falar de viagem nos feriados de Tiradentes e semana santa, com a p***a do vírus à solta por aí? E, afinal, pega mal vender o meu projeto enquanto está todo mundo tentando sobreviver? Mas se eu não me autopromover, como pago meus boletos? 

São tantas perguntas!

Segundo porque como tocar um projeto pessoal não remunerado se a criança está em casa, e o parco tempo que consigo usar para trabalhar é para clientes?

E olha que o pai cola junto, fica com ela, brinca, cuida da casa, cozinha. Mas experimenta entreter uma criança de 2 anos e 8 meses trancada em casa…

Não estou reclamando, não. Estou longe de dizer que minha vida financeira está resolvida, mas numa escala de privilégios, estamos perto do topo. Meu trabalho sempre foi feito remotamente. Companheiro está em casa e certamente continuará recebendo, meus pais moram perto, estamos em um bairro muito bem servido por todos os serviços de entrega possíveis. Tenho amigos no circuito de feiras, então tenho contatos de orgânicos e produtos artesanais, e consigo comprar com eles para escoar a produção. Estamos bem. Obrigada. Mas e você? Vou tentar te ajudar com dicas de como posicionar seu negócio nas redes, ok?

Como sempre, vou te dar as principais datas comemorativas do mês de abril, se é que o clima é de comemoração. Mas antes, sugiro fortemente que você pense em maneiras de fortalecer seu negócio à distância, oferecendo cursos, treinamentos, vídeo-aulas e produtos digitais, ou trabalhando com entregas diretas (dentro dos protocolos de segurança para você e seus clientes). E mesmo que seu negócio seja presencial (profissional de saúde, estética, faxina, marcenaria etc), você certamente tem conhecimentos que podem ajudar as pessoas que neste momento não podem te chamar, mas precisam aprender como se faz. E esse conhecimento pode ser dado, como forma de construir sua reputação neste período de vendas baixas, ou vendido, porque você tem boletos a pagar.

Não se preocupe, eles certamente vão te chamar pra fazer o serviço para eles na primeira oportunidade. É cômodo.

Outra opção é oferecer descontos para quem contratar antecipado, mesmo sem saber quando poderá usufruir. 

Sejamos realistas: a gente não faz a menor ideia de quando a vida voltará ao normal. Ou se precisaremos aceitar um “novo normal”.

Acredito mais na segunda opção (o “novo normal”).

Bom, vamos lá, chega de blá blá blá, seguem ALGUMAS datas especiais que podem ser comemoradas mesmo em casa:

  • 2 de abril – Dia Internacional do Livro Infantil
  • 5 de abril – Dia das Telecomunicações (agradeça. Apenas agradeça)
  • 7 de abril – Dia Mundial da Saúde e Dia do Jornalismo
  • 10 de abril – Dia dos Irmãos
  • 11 de abril – Dia do Infectologista, dia do Kung Fu
  • 12 de abril é Páscoa (se você puder encomendar seus chocolates com pequenos produtores artesanais, a economia agradece).
  • 14 de abril – Dia Internacional do Café (AMÉM)
  • 17 de abril – Dia Internacional do Haiku (aproveite a quarentena para fazer uns)
  • 18 de abril – Dia Nacional do Livro Infantil (o anterior era internacional)
  • 19 de abril – Dia do Ìndio (e é para lembrar da data para defender direitos de povos indígenas, sim).
  • 21 de abril – Dia Mundial da Criatividade e Inovação, feriado de Tiradentes
  • 22 de abril – Dia do Descobrimento do Brasil como contam pra gente, dia do agente de viagens, dia da comunidade luso-brasileira
  • 23 de abril – Dia de São Jorge, Dia do Torcedor Corinthiano (pessoal aqui em casa deve comemorar), dia mundial do escoteiro, dia mundial do livro e do direito de autor, dia nacional da educação de surdos
  • 24 de abril – Dia do Chimarrão, Dia do Samurai, Dia Internacional do Milho
  • 25 de abril – Dia Internacional das Garotas nas áreas de Tecnologia da Comunicação e Informação, Dia da Contabilidade, Dia Mundial de Conscientização da Malária
  • 26 de abril – Dia Mundial da Propriedade Intelectual
  • 27 de abril – Dia Mundial do Design Gráfico, Dia da Trabalhadora Doméstica
  • 28 de abril – Dia da Sogra
  • 29 de abril – Dia Internacional da Dança
  • 30 de abril – Dia Internacional do Jazz

E se nenhuma dessas datas se relaciona com seu negócio?

Bom, seguem outras sugestões de como se posicionar neste mês de abril, porque vai ser f*** pra todo mundo:

  • Tá liberado ser solidário. Se você pode trabalhar de casa, ou se as aulas estão suspensas, se você tem condições de pedir que o supermercado entregue em casa, se você vai continuar ganhando seu salário, tá liberadíssimo agradecer diariamente por ter privilégios, reconhecer que você é minoria, oferecer serviços a preços justos ou de forma voluntária para fortalecer pessoas em situação de vulnerabilidade. E continuar em casa, em respeito e para ajudar a preservar a saúde daqueles que não podem.
  • Ao mesmo tempo em que transmissões ao vivo aproximam pessoas do mundo inteiro, vale a pena reforçar as redes locais: pequenos negócios trabalhando com entrega para não fecharem, produtores de orgânicos, cooperativas, iniciativas conjuntas no condomínio, comunidades locais de empreendedorismo. 
  • Depois de ver imagens das inacreditáveis carreatas cheia de carrões com pessoas pedindo que trabalhadores precarizados ou mal pagos se exponham ao covid-19 em seus lugares, também já acho ok incitar a união dos trabalhadores contra a exploração de mão-de-obra. Afinal, acabamos de ver, na prática, que se a classe trabalhadora parar, “o mercado” se desestabiliza. No dia em que o proletariado tomar consciência de que quem REALMENTE movimenta a economia é quem TRABALHA, talvez a gente tenha um mundo mais justo.

Sim, pode continuar vendendo e anunciando o seu produto ou serviço. Afinal, seus boletos não se pagam sozinhos. Mas tenha em mente que os tempos serão difíceis. Então seu negócio precisa AJUDAR seu cliente (mas ajudar MESMO, não força a barra para parecer útil, não)caber no bolso de alguém que pode perder o emprego ou ter uma empresa falida a qualquer momento; e funcionar à distância nos próximos meses. 

Difícil, mas não impossível. 

Qualquer coisa, me chama. A gente tenta pensar junta numa solução.


Lembre-se: sente a bunda ao computador e escreva tudo de uma vez. Deixe posts agendados no Buffer, Planoly, MLabs, Etus, no estúdio de criação do Facebook ou na ferramenta de agendamento de sua preferência. Vai te poupar um bom tempo. E tempo, se você não está de férias nem de licença remunerada, é algo que você provavelmente não tem sobrando.

No mais, desejo saúde para você e seus entes queridos. 

Sabedoria e equilíbrio para lidar com essa merda toda e não quebrar (seja uma empresa, seja sua cabeça).

Internet funcionando, porque existem várias iniciativas online de atendimento psicológico voluntário, além de cursos de qualificação profissional e atividades de lazer, que podem ajudar neste momento.

Sabedoria e equilíbrio também dos nossos governantes, para que invistam nos sistemas de saúde e deem assistência às pessoas para que possam se preservar neste momento delicado.

Sabedoria e equilíbrio pra não dar na cara de quem acha que “é só uma gripezinha que só mata velho, os demais estão seguros”.

E se precisar de alguma solução de comunicação e marketing para seu negócio – especialmente que envolva produção de conteúdo -, chega aqui no blog, que já postei muito conteúdo sobre o assunto. Se precisar de ajuda especializada, estou aqui na função pagar boletos tanto quanto você, mas também podemos pensar em alguma solução que seja viável para ambas as partes. O que não dá é pra entrar em desespero agora. Vamos sair dessa juntas.

Ok?

Ok.

As crianças existem e estarão em casa

Permitir home office para quem pode é lindo, fechar o comércio por duas semanas e entubar o preju é investimento, fazer rodízio e fornecer máscaras pra quem PRECISA funcionar (setores de alimentação e farmácias) é o mínimo, mas o #coronavirus  é uma oportunidade para a sociedade repensar como cuidar das nossas crianças.

As crianças estão em casa.

Os pais em homeoffice não podem largar uma criança de dois anos na frente da tevê das 9h às 17h. Os pais que não podem trabalhar de casa nem sempre podem levar as crianças para o trabalho. Nem sempre há rede de apoio, e precisamos mais do que nunca preservar nossos idosos (esquece “deixar com a avó”).

Está na hora de todo mundo que “valoriza a família” valorizar também a família dos outros. É pra reduzir jornada sem prejuízo do trabalhador. É para dar licença remunerada para quem tem filhos. Não é pra exigir que as pessoas trabalhem como se não tivessem filhos.

Quando essa pandemia acabar, quem sabe empresários e donos de negócios parem de exigir que a gente finja que as crianças não existem.

“Ah, ele está com a avó”
“Eu deixo na creche das 7h às 19h”
“Ela pega o celular e fica o dia inteiro vendo desenho, tão boazinha!”

São só duas semanas em casa. Eu sou otimista. Acredito que a gente vai conseguir repensar nosso sistema de produção e trabalho considerando que crianças existem e precisam de conexão com as famílias. Que o “horário flexível” não seja só discurso, que as visitas ao pediatra sejam prioridade, que sair no meio do expediente porque o menino teve febre não precise de negociação.

E que, num caso sério como uma pandemia, os pais possam cuidar de seus filhos.

Não é gasto, empresário.

Cuidar das nossas crianças é investimento.