• Home
  • Tag: conteúdo

Julho chegou, e é rumo à CENTOEVINTENA. E o que você planejou para suas redes sociais?

Até ano passado, eu era a loka das festas juninas. Dia 13 eu batia ponto na quermesse de Santo Antônio da igreja aqui perto; dia 24 eu despencava pra Igreja de São João, ali no Centro, com minha amiga Luciana, só pra comer pamonha salgada; e dia 29, pelo menos antes da minha filha nascer, era de lei a procissão e a festa de São Pedro em Jurujuba (pra quem não conhece Niterói, é um bairro com uma colônia de pescadores).

Este ano, as festas juninas foram em forma de shows pela internet, encontros com os amiguinhos da escola pelo Zoom, e uma invenção chamada “festa na caixa”, um produto que ganhou força em tempos de isolamento social: um bolinho, uns doces, uns salgadinhos, duas latas de refrigerante – o suficiente para uma família que mora junta comemorar, tudo entregue na sua casa. Tem gente que tem a visão também de incluir cupcakes e docinhos para entrega na casa dos parentes e amigos chegados, para que todos comemorem juntos.
E parece que é assim que vamos comemorar qualquer coisa por um bom tempo. 

😷😷😷

A novidade agora é que o TikTok está pautando novas funções no Instagram: o Instagram lançou recentemente a função ‘Reel’, onde você pode fazer pequenos clipes com áudio e recursos de edição de tempo, e o YouTube agora mostra destaques de vídeos de 15 segundos. Ninguém aguenta ter sua hegemonia ameaçada, né, mores?

Enquanto isso, eu ainda não entendi muito bem para que serve o TikTok. Mas se você trabalha com mídias sociais e não está lá ainda, é bom ficar de olho. Cria um perfil e observa. Pode até me seguir, embora ainda não tenha muita coisa pra ver.  
 
😷😷😷

Low touch economy, ou economia do pouco contato. Já cantei essa bola várias vezes aqui no Lounge42, nos informativos passados (junho, maio, abril): a economia não está parada, mas o dinheiro está mudando de mãos e indo para quem consegue se adaptar. Entregas, compras pela internet, serviços que podem ser realizados remotamente estão crescendo no meio da pandemia. A MJV fez uma boa análise dessa tendência. Leia: https://www.mjvinnovation.com/pt-br/blog/low-touch-economy-o-que-e.

😷😷😷

A economia do pouco contato é tão significativa que hoje, primeiro de julho, tem uma greve de entregadores de aplicativos – iFood, Uber Eats, Rappi e outros. Uma categoria que sempre foi precarizada e corre riscos sérios no trânsito, uma vez que ganham muito pouco por entrega e, se quiserem uma renda digna no fim do mês, precisam fazer o máximo de entregas em menos tempo (isso inclui cortar caminhos por onde não deve e furar sinal, pelo visto). E, agora, risco de contaminação – para trazer nossa comida. Fora os bloqueios e prejuízos por cancelamento.

Em tempos de COVID-19, pode-se dizer que eles estão numa espécie de linha de frente. Afinal, alimentação é serviço essencial e esses caras fazem todo o contato entre negócio e cliente. Só que sem equipamentos de proteção fornecidos pela empresa nem direitos trabalhistas, porque o app não se responsabiliza por eles caso algo aconteça. E não dá pra meter o discurso de “eles são empreendedores”. Os aplicativos ganham MUITO dinheiro às custas dessa precarização do trabalho.

Caso os entregadores tenham suas reivindicações atendidas, é provável que se crie todo um novo parâmetro para serviços de entregas – e não apenas por aplicativo, porque os avanços podem virar exigências de toda a categoria., porque até termos uma vacina para o COVID-19 ou um tratamento de eficácia comprovada, ainda vamos depender muito de entregadores. 

Todo apoio para essa categoria. Se você ler isso a tempo, pode apoiá-los não fazendo pedidos de comida por aplicativo hoje, usando a hashtag #BrequeDosApps, e dando gorjeta ou valores extras, quando possível, nas suas próximas compras.

😷😷😷

E o seu negócio? Já se adaptou ao ‘novo normal’? Está tendo alguma dificuldade? Posso ajudar?

😷😷😷

Vamos para o que você queria: datas comemorativas de julho para ter assunto em suas redes sociais.

Julho costumava ser aquele mês em que a gente dizia “estamos no meio do ano, e como está seu planejamento? Ainda dá tempo de cumprir suas metas”. Bom, vou dar uma notícia pra vocês: todos os planos mudaram. Inclusive tô passando pra frente meu planner 2020 praticamente zerado. 

Lembrando que este não é o calendário completo, são apenas algumas das datas que podem ser relevantes. Mas já pode te dar algumas ideias:

  • 4 de julho: Dia da Jaca
  • 6 de julho: Dia Internacional do Beijo
  • 7 de julho: Dia Mundial do Chocolate
  • 8 de julho: Dia da Ciência
  • 10 de julho: Dia da Pizza e Dia da Piña Colada
  • 13 de julho: Dia Mundial do Rock
  • 14 de julho: Dia da Queda da Bastilha (VAMO FAZER IGUAL, GENTE???)
  • 17 de julho: Dia Mundial do Emoji
  • 19 de julho: Dia Nacional do Futebol
  • 20 de julho: Dia do Amigo e Dia Nacional do Tatuador
  • 26 de julho: Dia dos Avós
  • 27 de julho: Dia do Pediatra
  • 28 de julho: Dia do Agricultor
  • 30 de julho: Dia Internacional da Amizade

Aproveite julho para pensar nas suas campanhas de agosto: Dia dos pais e a Semana Mundial de Conscientização sobre o Aleitamento Materno, que obviamente não precisa ser uma cagação de regra sobre amamentação que vai deixar mães que não puderam amamentar ainda mais culpadas (como se a gente já não tivesse um milhão de cobranças), mas sim sobre acesso à informação. 

😷😷😷

Aconteceu no Instagram

“Sentiu o chamado?”

Senti o chamado de correr pras montanhas, isso sim. Onde já se viu apelar pro emocional pra fazer alguém gastar um dinheiro que não tem em algo que não precisa? Mais amor nas vendas, por favor. ❤

😷😷😷

No mais, fique em casa se puder. Se tiver muito que sair, use máscara e álcool gel, lave bem as mãos, deixe os sapatos do lado de fora quando voltar, tome um banho e desinfete tudo o que vier da rua.

Seguro morreu de velho.

Um beijo. Fica bem. Tamo junto.

Lia Amancio.

Junho chegou. E como vai sua presença digital?

Junho está aí. E eu espero que, se você lida com produtos ou serviços, você já tenha planejado:

❤️ Sua promoção de dia dos namorados;
🌽 Como você vai falar de festa junina, considerando que não teremos festa junina tão cedo;
❄️ No inverno, que chega oficialmente no dia 21.

Se não planejou ainda, senta a bunda na frente do computador agora e manda ver. Se não souber o que oferecer, me aciona. Juntos, podemos pensar em algo.

Lembre-se: adaptação. Inovação. Investimento em conteúdo digital. Porque mesmo com a flexibilização do isolamento em algumas cidades, estamos longe de ter a cura do vírus. Então prepare-se para não ser pego de surpresa com um novo lockdown, ou com a economia ruindo não pelos fechamentos, mas por motivos de saúde da população.

***
Dicas de leitura da Tia Lia:

🖥️ Deu no Meio & Mensagem: “Mídia programática: o que é e como funciona? Perfil Sleeping Giant Brasil trouxe à tona o funcionamento de um modelo automatizado de publicidade que gera dúvidas – e polêmicas – entre anunciantes e veículos”. Confira.

🖥️ O LinkedIn agora permite a criação de eventos. Você ja criou evento no LinkedIn? Conta aqui como foi sua experiência?

🖥️ Me segue lá no TikTok. Ainda estou tentando entender para que serve o TikTok quando você tem mais de 40 anos e não é uma marca.

🖥️ André Forastieri é jornalista. Você pode conhecê-lo do LinkedIn, mas eu conheço de revistas que eu adorava na minha adolescência e um pouco depois, como General e Herói, e da editora Conrad, que publicava os melhores livros. E a newsletter dele é muito interessante. Ele fala muito de cultura – música, séries, literatura – com um viés pop/alternativo, mas também aborda um pouco de política e empreendedorismo. A mais recente fala de negociação, de comunicação empática e como convencer alguém do seu argumento. Acho que você vai gostar.

***

Vamos à nossa agendinha de datas mágicas. Lembre-se: muitas delas NÃO estão aqui. Todos os dias de junho têm várias datas comemorativas, obviamente que não coloquei todas. Mas alguma dessas pode ser lembrada no seu negócio, ou em alguma campanha. Vamos a elas:

3 de junho – Dia Mundial da Bicicleta
4 de junho – Dia de Abraçar seu Gato
5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente
8 de junho – Dia Mundial do Gin
10 de junho – Dia da Língua Portuguesa e Dia do Chá Gelado
12 de junho – Dia dos Namorados e Dia Mundial do Falafel
13 de junho – Dia de Exu, Dia de Santo Antônio
16 de junho – Bloomsday
18 de junho – Dia da Imigração Japonesa
19 de junho – um dos dias do Cinema Brasileiro (o outro é em novembro!)
20 de junho – Dia Internacional do Surf
21 de junho – Início do Inverno, Festa da Música (uma tradição que começou na Europa com o início  do verão), Dia Mundial do Skate, Dia Mundial do Yoga
23 de junho – Dia do Atleta Olímpico, Dia Nacional do Desporto
24 de junho – Dia de São João, Dia do Caboclo
25 de junho – Dia Global dos Beatles
28 de junho – Dia do Orgulho LGBTI+
29 de junho – Dia de São Pedro, Dia de Xangô
30 de junho – Dia Internacional do Profissional em Biotecnologia

***

No mais, sim, você pode e deve se posicionar contra o racismo. Se você é branco/a, reconheça o racismo estrutural da sociedade, o racismo das pessoas brancas, dê espaço para pessoas pretas nos seus canais. 

Você também pode e deve se posicionar politicamente. Afinal, estamos no meio de uma pandemia, uma crise sanitária e sem ministro da saúde nem presidente. O ministro da Economia salva bancos e deixa as pequenas empresas e o trabalhador autônomo no sufoco. É pra revoltar qualquer um. Você vai perder seguidores? Talvez. Mas os que ficarem serão pessoas inteiramente alinhadas com seus valores – e você pode, enfim, ser livre para falar publicamente sobre o que você gostaria de fazer com um fascista quando acabar o isolamento e você puder ter, DIGAMOS, contato físico com alguém.

Ah, qualé, independente do seu posicionamento político, você não é fascista, certo? Na dúvida, entenda aqui quais são os sinais do fascismo: 

(se alguém souber de quem é a autoria da imagem, me conta)

***
No mais, espero do fundo do coração que esteja tudo bem com você, na medida do possível. 

Estamos juntos nesse barco. Já passamos por coisas piores, sem os recursos tecnológicos e toda a informação que temos hoje. Vai passar. Vai passar. 

Fevereiro já é logo ali: hora de planejar suas redes sociais!

FEVEREIRO JÁ ESTÁ AÍ e não quero ninguém chorando que perdeu a chance de produzir uns posts bacanas de carnaval – seja pra entreter os seguidores, seja pra avisar que não vai funcionar no feriado – por falta de planejamento.

Ainda que você decida suas pautas ou seus posts no melhor estilo “deixe a vida me levar, vida leva eu”, você já pode prever algumas datas importantes (além, é claro, dos seus próprios eventos).

  • 2 de fevereiro: Dia de Iemanjá, Dia da Marmota (lembra do filme “Feitiço do Tempo”?) e Dia Mundial de Tocar seu Ukulele 
  • Entre 3 e 10 de fevereiro: Volta às aulas. Qualquer que seja seu nicho, SEMPRE dá pra fazer um post de volta às aulas.
  • 3 de fevereiro: aquele triste dia em que Richie “La Bamba” Valens, Big Bopper e Buddy Holly morreram no avião (foi em 1959)
  • 4 de fevereir
  • o: Dia Mundial Contra o Câncer 
  • 9 de fevereiro: Dia do Surfe
  • 11 de fevereiro: início da Semana de Arte Moderna de 1922
  • 12 de fevereiro: Dia de Darwin
  • 15 de fevereiro: o carnaval nem começou mas já está todo mundo desidratando no bloco – aproveite para fazer umas fotos bacanas para ilustrar seus posts pré-programados de carnaval 
  • 21 de fevereiro: sexta de carnaval e meu aniversário. \o/ Meu, da Nina Simone, da Anaïs Nin e do Manifesto Comunista
  • 24 de fevereiro: dia mundial do bartender e dia nacional do RPG (o jogo, e não a reeducação postural)
  • 26 de fevereiro: quarta-feira de cinzas
  • 27 de fevereiro: dia do Poké
    mon
  • 28 de fevereiro: Dia da Fada do dente 
  • 29 de fevereiro: só acontece uma vez a cada quatro anos.

Há muitas outras datas comemorativas em fevereiro (algumas bem aleatórias, até), mas com essas aí você já consegue alimentar suas redes com certa regularidade, intercalar seus posts normais com eventos curiosos, se programar para tirar a semana para descansar ou ainda ter ideias, caso esteja sem (o que eu DU-VI-DO).

Meu fluxo pessoal de produção de conteúdo é: 

  1. Escreva a legenda
  2. Só depois encontre ou produza a imagem 

Claro: se você é fotógrafa, designer ou tem imagens muito boas que quer compartilhar, use a imagem como referência. Mas geralmente funciona bem escrever primeiro, porque escrever uns seis, sete posts de uma sentada só quando se tem os temas é muito mais fácil – depois é só correr atrás da produção das imagens. Na pior das hipóteses, um fundo com texto ou uma foto de banco de imagens resolvem.

 (se você tem um blog, eu sugeriria primeiro escrever no blog para, a partir deste post, desmembrar seus parágrafos em textos diferentes e citações para mídias sociais).

Se você não quiser trabalhar no feriadão, vale a pena deixar tudo programado com antecedência. Não ganho nada pra indicar para vocês minhas ferramentas favoritas:

  1. Buffer: até três redes sociais é gratuito. Permite agendamentos. Não agenda stories. Publica automaticamente no Instagram, mas talvez valha a pena usar o Buffer para Facebook, Linkedin e Twitter, outro app apenas para Instagram, e usar o Pinterest manualmente.
  2. Etus e MLabs: ambos são serviços pagos por preços como menos de R$ 10 mensais apenas para agendamento (em TODAS as redes sociais, incluindo stories), e cerca de R$ 25 por mês se você quiser relatórios e estatísticas de acesso. O suporte do MLabs é limitado (só vai até as 17h), o do Etus é 24h.
  3. Tailwind: publica apenas no Instagram, permite agendamentos, mas você precisa autorizar a publicação na hora, pelo celular.
  4. Planoly: permite publicação e agendamento apenas no Instagram e Stories. Oferece banco de imagens gratuitas e planejamento de gride. Facebook, somente no plano pago. Oferece app integrado de edição de stories (o Stories Edit), mas achei pesado, prefiro usar o Canva pra fazer os stories e importar para lá.

No mais, tô aqui para o que você precisar. 

Não, nem todo negócio tem que estar no Instagram. Aliás, não TEM QUE nada. Seu negócio, suas regras.

Minha dentista é maravilhosa. Patrícia é o nome dela. Atende aqui em Niterói.

Outro dia eu estava com a boca toda torta de anestesia durante um tratamento de canal, e ela me contava de uma pessoa “de marketing” que sugeriu que ela contratasse um pacote com redes sociais e o cadastro num desses diretórios online de consultórios de saúde.

– Lia, eu fiquei tão na dúvida… você acha que eu devia fazer?

– Fatrifia, fofê mefma me dif que fua agenda eftá lotada e que fofê não confegue nem firar um cofhilo. Fe não é fra afrair nofof clienshef, fra quê infeshif fhemfo e finheiro nifo?

(eu parecia o Dinofauro falando)

– É, faz sentido.

– Como of clienshef fhegam ao confulfóio?

– Por indicação. Eu nem acho legal vir gente desconhecida aqui, todo mundo é amigo ou parente de alguém que já veio.

– Enfão fofê shá fave a refpofta…!

Na semana seguinte, sem anestesia (consequentemente sem o risco de morder a língua), até comentei que se ela quisesse muito investir em marketing agora pra se prevenir de baixo movimento no futuro, pode começar apenas com um relacionamento com os clientes já existentes: pedir para a secretária incluir os contatos em uma planilha, datas de aniversário, última consulta e o tratamento que veio fazer, e criar uma rotina de felicitações por datas importantes e lembretes de revisão.

Mas perder tempo criando conteúdo para redes sociais? Ou gastar dinheiro pra investir nisso, com alguém que ela nem sabia se criaria conteúdo persuasivo o suficiente para converter? E, se converter, trazer clientes novos e aumentar ainda mais a demanda?

Nem sempre vale a pena.

Foca no que importa:

+++

Rede social, colega, é pra se conectar em rede e ter comportamento social.

Parece óbvio, mas cansei de ver gente dizendo que “tenho LinkedIn mas nunca arrumei trampo por lá” (ou a variação “tenho página no LinkedIn mas pouquíssima gente curte”), mas também nunca compartilhou nada relevante para sua rede de contatos, não interage com sua rede, não compartilha os próprios posts da sua própria empresa (clássico!), não dá um parabéns quando vê que o colega está num trabalho novo numa empresa maneira.

Aí fica difícil, colega.

Difícil, inclusive, pra mim, que tenho que explicar o óbvio: que “rede social é pra se conectar em rede e ter comportamento social”.

Mas seguimos na luta.

+++

E se não for pra se conectar em rede e ser social, nem perca seu tempo, nem pague alguém pra “fazer um post no Instagram a cada 15 dias porque a verba é pouca”.

Com o dinheiro que você pagaria um profissional pra fazer só isso, se você estiver no Rio ou em Niterói, você manda alguém da equipe no workshop que vou dar no Cria Coworking no dia 26 de outubro.

Será uma imersão de dia inteiro de Marketing e Produção de Conteúdo (com pausa para almoço), mas dá pra escolher a la carte – Fundamentos de Marketing pela manhã, intensivo em Produção de Conteúdo à tarde.

Porque depois de quase 20 anos produzindo conteúdo para os mais variados segmentos e mídias, acho que está mais do que na hora de dividir o que sei com vocês.

Mas vou continuar publicando conteúdo pra você por aqui, mesmo que você não possa vir. Porque é isso: conhecimento a gente compartilha.

+++

Essa semana teve um dia que fiquei até umas 2h da manhã tentando conter uma invasão de bots no meu site e minha filha de dois anos acordou querendo brincar. MAMAIN JOGA BOLA COMIGO, MAMAIN. E eu com ela num braço e usando a outra mão pra digitar pro cara do suporte do provedor, e caindo de sono, e MAMAIN JOGA BOLA COMIGO, MAMAIN.

Joguei um pouco de bola. Contive a invasão. Bebi 3 litros e meio de água no dia seguinte pra ver se minha disposição melhorava.

Tem horas que a gente simplesmente entrega pros deuses e confia que vai dar tudo certo.

+++

Bom, você já sabe como criar conteúdo para vários dias a partir de uma única peça de texto ou vídeo. Já sabe que pode deixar tudo programado em gerenciadores de conteúdo, como o Buffer, Planoly, Hootsuite, Tailwind ou até mesmo com recursos nativos (como o do Facebook).

Mas talvez você ainda não tenha feito o básico do básico, que é botar no papel (ou botar numa planilha, ou num documento, numa apresentação, o que quer que seja) quais são seus objetivos.

Você quer divulgar seu trabalho? Mas por que você quer divulgar seu trabalho? Porque você quer vender, certo? Você precisa se posicionar de forma diferente no mercado pra poder aumentar seus preços? Você quer público pagante para um evento ou projeto? Do que você precisa?

A partir daí, você precisa de uma estratégia. Eu já te disse que você não tem como falar com todo mundo, então vamos lá: ONDE seu público está? Como chegar nessas pessoas? Que tom e que voz usar para falar com essas pessoas? Que assuntos abordar? Em que formatos? Qual a periodicidade?
Lembre-se que redes sociais são LINDAS (mentira, tem vezes que só dá chorume rs), mas que ninguém vai esbarrar no seu conteúdo tipo “OPS ACHEI ISSO AQUI” se você não tiver uma estratégia:

  • Vale usar hashtags relevantes
  • Vale pagar pra impulsionar posts que realmente digam alguma coisa para sua audiência em potencial e deem vontade de visitar seu perfil e ser sua amiga pra sempre
  • Vale estratégia com influenciador MAS VÊ LÁ se não vai pegar influenciador nada a ver (tipo, grandes bosta ter 100 mil seguidores se quase nenhum é da sua cidade e seu produto ou serviço é apenas local)
  • Vale criar memes que falem diretamente sobre as dores do seu público-alvo
  • Vale fazer um monte de meme bosta, mas se acertar UM já valeu todo o esforço
  • Vale sair da internet e ir para a rua, para feiras, para eventos, botar a cara no sol, dar amostras do seu trabalho (até onde não tomar demais seu tempo remunerado), mas sempre com cartão de visitas e aquele material bacana pra chamar as pessoas para os seus canais
  • Vale inclusive pedir ajuda (“curtam, compartilhem, repassem”), porque pedir é uma arte.

O que não vale é sair fazendo qualquer m****.

Tenha uma estratégia de conteúdo baseada nos seus objetivos de marketing e no comportamento do seu público-alvo.

Não precisa ser nada muito complexo, não. E pode, inclusive, sofrer adaptações ao longo do tempo.

Mas precisa ser algo que você realmente use como referência na hora de produzir conteúdo.

E a gente vai falar mais sobre isso em breve. 😉

+++

E aí? Você está gostando desses e-mails? Posso melhorar? Como? Sobre o que você quer saber?

Sobre consistência e regularidade

Oi. Achou que eu não voltaria mais com esta série sobre produção de conteúdo, certo?

ACHOU ERRADO, AMADA!

Mas em uma coisa você está certíssima: eu não devia ter feito o que fiz contigo. Comecei com uma regularidade quase diária, sumi sem avisar, e com isso traí sua confiança. Você não sabe mais o que esperar de mim.

Bom, vamos estabelecer os parâmetros da nossa relação aqui, então? Enquanto eu tiver assunto, prometo aparecer pelo menos uma vez na semana. Duas, se eu estiver com tempo sobrando.

E este é nosso aprendizado #1 desta semana: você NÃO precisa entregar conteúdo todo dia, mas precisa, sim, ter consistência e manter uma regularidade que sua audiência consiga prever.

Claro, nas redes sociais o ideal é estar presente diariamente, várias vezes ao dia. Mas nem sempre você tem tempo pra produzir ou verba pra pagar alguém pra fazer isso. Aliás… nem sempre você tem ASSUNTO. E se não for pra entregar conteúdo útil para sua audiência, é melhor nem entregar. Senão é perda de tempo (seu, de produzir algo que não tem relevância), de dinheiro (porque você poderia estar usando seu tempo precioso para atividades remuneradas), de energia, e produz um monte de lixo digital.
Existem umas periodicidades que funcionam e não enchem muito o saco, a saber:

  • E-mail: de uma vez por semana a uma vez por mês. Mais do que isso, apenas se for algo realmente útil para seu público-alvo – uma promoção irresistível de algo que sua audiência CERTAMENTE precisa. Promoções cheias de gatilhos mentais para tentar convencer sua audiência da relevância de algo inútil que você vende a preços exorbitantes ou aqueles webinários sarapa em sequência que todo mundo já sacou que são funil de venda de fórmula de lançamento de algum produto raramente entregam conteúdo útil. Aliás, se precisa de “gatilhos mentais persuasivos” pra convencer alguém, dificilmente é útil.
  • Blog: tanto faz, o blog é seu, mas tente alimentá-lo pelo menos quinzenalmente. Ao menos tente. Tentar não custa.
  • Instagram, Facebook e LinkedIn: diariamente. Se não der pra fazer diariamente, umas duas ou três vezes na semana é ok. Uma vez na semana é pouco, porque a menos que o post tenha engajamento durante a semana inteira, ele vai perdendo visibilidade – e até você voltar a ter relevância pode demorar.
  • YouTube: depende seu canal é sua mídia principal ou se é apenas mais uma mídia de suporte a conteúdos espalhados por aí. Se for apenas suporte, ok, cuide das outras redes. Se for seu principal ponto de contato com seu público, tente publicar ao menos semanalmente e num dia e horário fixo.
  • Twitter: não há limites, mas muitos tweets seguidos podem floodar a TL do cidadão. Se forem sobre assuntos correlatos, tente organizá-los em uma única thread.
  • TikTok: não há limites.
  • Stories no Instagram, Facebook e Snapchat: não há limites. Pode fazer quantos quiser, diariamente. Se possível, use também este recurso no Instagram para promover também seus próprios posts e vídeos do IGTV – assim, quando o engajamento estiver começando a cair, você vai lá e reativa a audiência.

+++

Hoje, 1º de outubro, é o Dia Internacional do Café.


E para você esta data pode não ser importante, mas pra mim tem um significado especial: café é fonte de alegria, energia e amor. Café não julga. Café está sempre ali quando precisamos. <3

E eu só sei disso porque me dei ao trabalho de montar O MELHOR calendário de conteúdo. Não apenas datas comemorativas, mas também dicas diárias do que postar, com base em comportamentos da audiência; alertas para início de planejamento de campanhas; alertas para e-mail marketing; alertas, alertas, alertas!

Levei um tempão para montar isso, mas valeu cada segundo.

+++

aprendizado #2 é: não faça que nem eu, que passei a semana passada inteira pedindo desculpas pelos e-mails duplicados. ORGANIZE A P**** DO SEU MAILING.

Aproveite e segmente seus contatos para entregar conteúdos específicos para cada grupo. Ter uma gestão de clientes e de prospects nunca é demais. Aliás: ter uma gestão de clientes e prospects é FUNDAMENTAL. Imagine que você SABE quando o produto que você vendeu está acabando. Ou que você lembra que já está novamente na hora do seu cliente começar a pesquisar fornecedores para um determinado evento. Ou que você tem todos os aniversários à mão. Se você não fez isso ainda, faça. Faça logo.

+++

A gente tem que se reinventar todo dia

Todo.santo.dia.

O mercado está instável, sempre tem um moleque que faz o que eu faço pela metade do preço (ainda que o meu valor seja alto, porque eu entrego resultados), e na real nem eu quero fazer trabalho meia-boca pra compensar preço baixo.

Eu já expliquei aqui: prefiro te contar como funciona meu trabalho e te dar subsídios pra FAZER como eu faço, ou pelo menos pra fazer parecido, pra conseguir melhorar suas vendas, sua visibilidade, começar a ganhar ALGUM dinheiro e poder terceirizar sua comunicação (aí você me contrata. Ha ha. Ha ha). Ou pra você que já trabalha com isso, mas tá #SemTempoIrmão, e precisa dar um jeito de melhorar esse fluxo de criação aí.

Então resolvi fazer isso presencialmente também. Por enquanto é só aqui em Niterói, mas com passagem e um lugar amigo pra ficar, posso ir pra qualquer lugar do mundo.

Segue a agendinha:

+++

Gostou do que leu aqui? Compartilhe, compartilhe como o vento!