Todo trabalho deveria ser prazeroso, sabe por que?

Estava lendo essa matéria sobre gestão na Businessweek, cuja premissa é “quem disse que trabalho não deve ser prazeroso” ou “se fosse bom, não se chamava trabalho”?

Trabalho tem que ser prazeroso, sim – sabe por que, CEO? Porque você não quer um funcionário que faça um trabalho meia-bomba. Que vá desmotivado para a labuta diária. Você entrevistou o cara, viu seu currículo e o contratou porque ele era bom. Você realmente prefere demiti-lo do que motivá-lo?

Sim, o reconhecimento em dinheiro é importante para o funcionário. Mas nem sempre é possível no momento, visto que a empresa tem contas a fechar. Ainda assim, cursos, treinamentos, palestras, um ambiente de trabalho acolhedor, flexibilidade de horários, momentos para seu funcionário ‘respirar’, tudo isso motiva. Chefes presentes, que transmitem conhecimento, que ficam do lado de suas equipes naqueles dias em que o trabalho vai até a madrugada, isso motiva. Embora não precisar ficar até de madrugada motive ainda mais. Trabalho precisa ser prazeroso, sim. Afinal, é na empresa que passamos a maior parte dos nossos dias.

Seu funcionário é a cara da empresa. Ele também deve ser considerado parte de sua comunicação, e ele veste a camisa ou não. E se ele não vestir, você sempre pode demiti-lo – mas, convenhamos, motivá-lo e criar um ambiente acolhedor para reter seus talentos é mais fácil, menos custoso e melhor para todos. Aprender que lidamos com pessoas, não com máquinas de cumprir metas, é fundamental – e o que é melhor: dessa maneira, a meta será cumprida. Só que com prazer.

Lounge42

Deixe uma resposta